Inspirado na Nova História (de Jacques Le Goff) “Prima Luce” pretende esclarecer a arquitectura antiga, tradicional e temas afins - desenho, design, património: Síntese pluritemática a incluir o quotidiano, o que foi uma Iconoteologia
02
Dez 17
publicado por primaluce, às 00:00link do post | comentar

...para conhecer toda a história da construção desta obra inglesa em Sintra, essencial na criação da Paisagem Cultural da Serra e Vila de Sintra, da UNESCO

 

Sobretudo para poder compreender a 1ª versão da obra de Monserrate, foram inúmeras as leituras feitas.

ingleses em Portugal 001.jpg

De entre essas destacamos o livro acima, que deu - para além das informações mais gerais que eram necessárias ao processo de investigação -, também nos deu muito gozo e algum divertimento: relacionado com episódios e várias pequenas estórias.

Depois, e a acrescentar a todas essas, por exemplo algumas cartas de Horace Walpole são igualmente ricas de informações que interessava considerar.

Por exprimirem não apenas a mentalidade do séc. XVIII; i. e., a mentalidade que tinham alguns dos seus contemporâneos, pois foram imensos (em quantidade) aqueles com quem se correspondeu. Mas ainda, por já avançarem esboços de uma mentalidade futura. I. e., dada a «qualidade» e o estatuto social dessas personalidades a quem escrevia, e de quem recebia cartas, visto que serem todos de um ranking superior (ou bem acima da média dos comuns mortais).

Assim, essas muitas leituras que conseguimos fazer, permitiram também ver (para a frente), o retrato das lógicas, e mentalidades, que no futuro, muitos mais iriam ter.

E nesse aspecto, há que o confessar, consideramos que o século XVIII é absolutamente fascinante!

Claro que todos os tempos estão cheios de modernidade, que a Idade Média, é uma imensa promessa de futuro, que o Renascimento é um «debate» constante entre o passado e o que há-de vir; entre um platonismo idealista que vinha de trás, e um realismo aristotélico (por influência de S. Tomás de Aquino), que crescentemente tenderia a influenciar todos.

Só que (talvez?), é no século XVIII* que esse debate tende a estabilizar. E portanto a poderem reconhecer-se várias lógicas do pensamento, com maiores afinidades com as lógicas que hoje, em geral, quase todos temos

~~~~~~~~~~~~~~~~~~

*E na classificação que normalmente os historiadores aceitam, numa «divisão do tempo em fatias» que eles fazem, e a que chamam períodos históricos, é para nós interessantíssimo que Jacques Le Goff tenha considerado, ao contrário da maioria, que a Idade Média se estende até ao séc. XVIII.


mais sobre mim
Dezembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

28
30

31


arquivos
pesquisar neste blog
 
tags

todas as tags

subscrever feeds
blogs SAPO