Inspirado na Nova História (de Jacques Le Goff) “Prima Luce” pretende esclarecer a arquitectura antiga, tradicional e temas afins - desenho, design, património: Síntese pluritemática a incluir o quotidiano, o que foi uma Iconoteologia
14
Set 13
publicado por primaluce, às 11:00link do post | comentar
 ...há de tudo, como na botica: o Mau e o Muito Bom.

 

Por isto, talvez por haver «montanhas de informação» por toda a parte, assim no Ensino Superior há cada vez menos? Já que, ... chacun «amanha-se», como alguns dizem.

Ou, como quando é dia de festa e as mesas estão repletas de iguarias, e de outro modo alguém sugere: “cada um que se sirva”!

Acontece que o autodidatismo implica muitas dificuldades, e um percurso que nem todos têm condições para fazer; sobretudo no início, muitos não sabem servir-se: que alimentos ou iguarias ingerir primeiro? 

Porque há quem não tenha aprendido certas regras, ou os pais também não as aprenderam, e não transmitiram porque não tiveram tempo. Depois, há sempre lacunas e gaps nas informações e conhecimentos que vamos adquirindo, ficando a faltar sistematização.

Assim volta-se ao principio:

Voyager é o primeiro objecto que sai do Sistema Solar, depois de ter saído da terra há mais de 30 anos.

Nessa data já nós estávamos no IADE, e pelo menos já então desconfiávamos da Iconografia que está em Belém, no tecto do Mosteiro dos Jerónimos. Ainda não tínhamos sequer pensado nessa ARCA como metáfora de alguma coisa; mas que um tecto tão perfeito, com uma geometria tão trabalhosa e rigorosa, claro que isso era coisa para fazer pensar...

Agora perguntamos: será que a fronteira – dentro e fora do Sistema Solar – pode ser comparada à ideia de Aristóteles, que separava o Supra- Lunar do Infra-Lunar*? Em que a terra se tornava local de imperfeição e de instabilidade, por estar abaixo da Lua: O nível a partir do qual (ou «acima») tudo seria perfeito? O nível a partir do qual a Geometria devia ser Cosmimétrie, como se escreveu  em Paris no séc. XII.

Ora isto que hoje lemos e ouvimos, a sorrir, manteve-se até muito tarde. Ou seja, já muitos séculos depois de Aristóteles, no século XII, era ainda Ciência: e como tal estava para ficar (mais algumas centenas de anos...).

No sistema de ensino dessa época, que contemplava as Artes Liberais e as Artes Mecânicas, cada uma delas compreendia 7 Ciências, onde, por sua vez a Géométrie - integrante das Artes Liberais - “...comporte trois parties, la planimétrie, l’altimétrie et la cosmimétrie.”**

Então, olhando de novo para o tecto da tal Arca de Belém, perguntamos (aos Filósofos***): será mesmo perfeita - e rigorosa, face à Ciência - a «Cosmimetria» desse tecto...?

 
(clic para legenda)

~~~~~~~~~~~~~~~

*http://lesartsetliens.free.fr/malfacon.htm

**Como escreveu Hugo de S. Victor (m. 1141) em Didascalicon. Ver L’Art de lire, trad. de Michel Lemoine, Paris 1991, p. 106.

*** Um assunto que parece ser mais de Filósofos do que de Historiadores de Arte.

Ver também: http://iconoteologia.blogs.sapo.pt/58955.html

http://iconoteologia.blogs.sapo.pt/

bien.faire.et.laisser.dire.gac@gmail.com


mais sobre mim
Setembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
13

15
18
19
20

22
23
25
27



arquivos
pesquisar neste blog
 
tags

todas as tags

blogs SAPO